A cúrcuma é um dos Alimentos Anti-Ansiedade mais famosos!

3 Alimentos que combatem a Ansiedade

Dificuldades para dormir, um sentimento de que as coisas não vão dar certo… Quem é ansioso sabe muito bem como é! Por isso, para te ajudar a lidar melhor com esse problema, trouxemos para você 3 Alimentos que combatem a Ansiedade!


Quem nunca passou a noite virando de um lado para o outro na cama porque tinha um evento importante no dia seguinte que atire o primeiro potinho de Carvvo!


Ficar ansioso de vez em quando, especialmente quando se tem motivo para isso, é algo absolutamente normal.
Porém, quando seu organismo entra num estado de estresse contínuo, isso pode trazer malefícios tanto para sua mente quanto para seu corpo.


Portanto, para te ajudar a se proteger da Ansiedade crônica, separamos uma lista com 3 Alimentos especiais que têm um efeito calmante. Confira!

Índice

1. Camomila;

2. Cúrcuma:

2.1. Aviso importante sobre a cúrcuma.

3. Chia:

3.1. Aviso AINDA MAIS importante sobre a chia.

3 Alimentos que combatem a Ansiedade

1. Camomila

O primeiro Alimento que integra a nossa lista é a camomila, que é uma erva rica em antioxidantes. Basicamente, os antioxidantes são substâncias que previnem o chamado “estresse oxidativo”, que é um processo químico por meio do qual as células sofrem danos.

De um modo geral, diante de uma quantidade excessiva de espécies que promovem o “estresse oxidativo”, o organismo reage ativando a produção de moléculas inflamatórias, com o objetivo de conter os eventuais efeitos negativos do processo de oxidação.

No entanto, essas moléculas pró-inflamação podem acabar causando outras consequências indesejadas no corpo, como o estabelecimento de doenças cardíacas.

E, de acordo com evidências científicas recentes, existe também uma relação entre as respostas inflamatórias e os sintomas de ansiedade e depressão.

Mais especificamente, foi observada uma associação entre o desenvolvimento de quadros depressivos e a presença de moléculas pró-inflamação.

Em outras palavras, como a camomila contém ativos antioxidantes capazes de exercer uma ação anti-inflamatória, ela naturalmente já ajuda a prevenir distúrbios psicológicos.

Além disso, há outras pesquisas que apontam, de forma mais específica, para a eficácia da camomila no combate aos sintomas da ansiedade. Um estudo publicado em 2009 concluiu que, em pacientes com Transtorno de Ansiedade Generalizada em graus leves ou moderados, o extrato dessa erva apresenta um potencial ansiolítico.

Já em relação a processos depressivos, a camomila também se mostra uma alternativa promissora. Uma pesquisa de 2012 relatou que a atividade antidepressiva dessa erva é clinicamente significativa.

Porém, todas essas análises foram feitas com o extrato de camomila. Assim, evidências acerca da eficácia do chá dessa planta ainda precisam ser melhor estabelecidas.

De qualquer modo, um artigo publicado em 2019 registrou que, de fato, a camomila na forma de chá também pode trazer muitos benefícios para o combate à ansiedade e à depressão. Por via das dúvidas, não custa nada tentar, não é?

Além de ter flores muito bonitas, a camomila é um excelente ansiolítico!

2. Cúrcuma (com Pimenta Preta!)

A cúrcuma (muito conhecida pelo nome de açafrão-da-terra), é mais um dos Alimentos que podem te dar uma mãozinha na hora de reduzir o estresse!

De forma similar à da camomila, a cúrcuma também contém substâncias antioxidantes. Na verdade, a curcumina, o principal ativo desse tempero, é tão eficaz no combate a inflamações que os cientistas a consideram um composto a ser explorado para a prevenção de doenças cardiovasculares, metabólicas, autoimunes e neurodegenerativas.

Com efeito, a curcumina é classificada como uma espécie química neuroprotetora, cuja presença na dieta de um indivíduo o ajuda a evitar o desenvolvimento de distúrbios como o Alzheimer.

E, ao que tudo indica, a ação antioxidante e anti-inflamatória da curcumina não é seu único meio de prevenir problemas de ordem psíquica, especialmente a ansiedade.

Segundo um estudo de 2014, essa substância estimula a produção de um composto muito importante para o cérebro, o ácido docosahexaenoico (um tipo de ômega-3).

Esse ácido é responsável por garantir o bom funcionamento das atividades cerebrais, pois ele interfere no processo de sinalização neuronal, por meio do qual os neurônios transmitem informações uns para os outros.

Como se não bastasse, os ácidos ômega-3 também trazem resultados encorajadores para quem lida com a ansiedade ou com a depressão. Como esses compostos mediam diversos parâmetros neurobiológicos, incluindo processos inflamatórios, eles se mostram úteis para o tratamento de indivíduos com transtornos psiquiátricos.

Em resumo, a cúrcuma traz inúmeros benefícios para quem deseja controlar seus níveis de ansiedade e se proteger de doenças inflamatórias e das consequências delas.

Aviso Importante!

Entretanto, existe um detalhe que você precisa saber antes de sair temperando todos os seus pratos com cúrcuma!

Infelizmente, a curcumina presente na cúrcuma não é aproveitada com facilidade pelo nosso organismo. Em termos técnicos, ela não é um composto muito “biodisponível”, o que significa que ela não é eficientemente absorvida.

Devido a isso, algumas estratégias precisam ser tomadas para que você consiga obter os benefícios da curcumina para a sua saúde física e mental. E uma dessas estratégias é ingeri-la junto com pimenta preta!

A pimenta preta possui espécies químicas que são capazes de se combinar com a curcumina, gerando um produto que é cerca de 20 vezes mais biodisponível.

Assim, para compensar a baixa taxa natural de aproveitamento da curcumina, o segredo é consumir a cúrcuma junto com a pimenta preta.

Quanto às proporções em que você deve ingerir cada um desses temperos, basta que você acrescente 1 parte de pimenta preta para cada 100 de cúrcuma.

Em outras palavras, se você for colocar em seu prato 1 colher de sopa de cúrcuma, você só vai precisar de uma pitadinha de pimenta preta para a mistura fazer efeito (menos que 1/10 de colher de chá!).

P.S.: Estudos recentes têm avaliado o potencial antidepressivo e ansiolítico da pimenta preta também! Logo, você pode preferir adicionar uma quantidade maior desse ingrediente para deixar suas refeições ainda mais efetivas!

Na hora de encher sua colher de sopa de cúrcuma, lembre-se de adicionar ao menos um pouco de pimenta preta!

3. Sementes de Chia

O último integrante da nossa lista de Alimentos Anti-Ansiedade é um queridinho do pessoal vegano: as sementes de chia!

Conhecida como um “superalimento”, a chia é uma das principais fontes de ômega-3 acessíveis por praticantes de dietas que não incluem carnes. Ademais, essa semente contém os 9 aminoácidos que não são produzidos pelo organismo humano, servindo como um suplemento de proteínas.

Além do ômega-3, que é uma classe de ácidos relacionados ao bom funcionamento das atividades cerebrais, as sementes de chia também possuem uma elevada proporção de antioxidantes.

E ambas as categorias de substâncias estão, como mencionamos anteriormente, associadas a um alívio dos sintomas da ansiedade e da depressão.

Por fim, explorando de forma um pouco mais aprofundada o assunto “atividade cerebral”, uma pesquisa concluiu que ingerir 5 g de chia diariamente pode promover um aumento da capacidade de raciocínio. Inclusive, essa mesma análise cita a chia como um ingrediente associado a uma melhora da memória.

(Entretanto, essas descobertas parecem não se estender a todos os casos. Com base nos referenciais científicos mais recentes, a chia não é indicada para pessoas que já estejam sofrendo com distúrbios neurológicos, como explicamos melhor no Aviso a seguir).

Outro Aviso Importante!

Apesar de haver todas essas evidências científicas em favor do consumo de chia para a prevenção de distúrbios neurológicos, indivíduos que já estejam diagnosticados com Alzheimer precisam ter cuidado com esse ingrediente.

De acordo com uma análise publicada num periódico especializado, as sementes de chia aparentam não ser eficazes para a melhora da capacidade cognitiva de pessoas afetadas por essa doença.

Mas o real problema está no fato de que, possivelmente, a chia exerce um efeito negativo sobre esses pacientes, acelerando a progressão do Alzheimer (o que, à primeira vista, vai de encontro ao que se esperaria dessas sementes).

Portanto, pelo sim ou pelo não, na hora de recomendar esse “superalimento” para alguém (ou incluí-lo à sua dieta), você deve primeiro certificar-se de que a pessoa não possui um problema de memória preexistente que possa ser agravado pela ingestão de chia.

A chia pode ser uma parte importante lista de Alimentos Anti-Ansiedade, desde que consumida por pessoas que não estejam sofrendo com doenças neurológicas instaladas.

E este foi o nosso post sobre os Alimentos que combatem a Ansiedade! Não se esqueça de conferir como você pode relaxar ainda mais fazendo exercícios de respiração e como o banho frio também é uma ótima alternativa para quem precisa controlar o estresse.

Um abraço e até a próxima!

Leia também