Confira tudo o que você precisa saber sobre a estrutura dos seus dentes!

Eles passam literalmente o dia inteirinho ao seu lado. Quando você sente fome, são eles que lhe dão aquela forcinha para mastigar. Quando você fica feliz, trata logo de mostrá-los ao mundo. Mas será que você conhece bem esses seus parceiros de todas as horas? Confira agora toda a beleza interior dos seus dentes e descubra como eles lhe ajudam a ter uma vida saudável!


Boca sã, corpo são!

O bem-estar do seu corpo, conforme muitos especialistas afirmam, começa pela saúde da sua boca. Há estudos que associam a boa higiene bucal à prevenção de problemas gravíssimos, a exemplo da endocardite (uma infecção do revestimento interno do coração) e dos acidentes vasculares cerebrais, os infames AVCs.

Isto significa que você deve ter uma atenção redobrada com o seu estilo de vida e ao escolher um produto para cuidar dos seus dentes.

Os dentes são divididos em três camadas: polpa, dentina e esmalte. A porção visível de um dente é denominada “coroa”, ao passo que a região encoberta pela gengiva recebe o nome de “raiz”. A figura a seguir ilustra a estrutura de um dente:

Estrutura geral de um dente. A parte externa dos dentes é dividida em 3 camadas: a polpa, a dentina e o esmalte. Já a parte coberta pela gengiva é revestida por cemento em vez de esmalte.
O esmalte é o responsável pela proteção do “núcleo do dente”

Conheça melhor as camadas dos seus dentes!

1. Polpa:

É a região mais interna do dente. A polpa é constituída por nervos, vasos sanguíneos, células de tecido conjuntivo frouxo (tecido que preenche cavidades corporais, como as dos dentes) e fibras.

Ela desempenha funções que incluem formar e nutrir a dentina e reagir a estímulos nocivos, como o contato com bactérias. As relações entre a polpa e a dentina são tão profundas que estudiosos costumam tratá-las como um “sistema único”, o complexo dentina-polpa.

Devido ao fato de a polpa encontrar-se “encapsulada” entre camadas de dentina, ela não possui liberdade para expandir-se, ou seja, o fluxo sanguíneo da polpa precisa ser controlado para que ela não sofra um inchaço e seja comprimida.

Deste modo, visto que a taxa de irrigação por sangue da polpa precisa ser mantida relativamente baixa, esta porção do dente demonstra maior dificuldade para receber o adequado suporte do organismo em caso de um ataque bacteriano, o que torna a sua proteção ainda mais urgente.

A polpa é um tecido tão vulnerável que é possível que ela venha a entrar em necrose antes mesmo de ser alcançada pela cárie.

Uma foca entra em choque ao saber que a polpa morre antes mesmo de a cárie chegar.
A pior parte é que é verdade!

A resposta corporal à invasão de bactérias, mesmo que elas ainda estejam nas camadas mais externas do dente, pode gerar um inchaço da polpa, comprimindo-a contra as paredes de dentina e provocando a “morte dos nervos”.

2. Dentina:

A dentina representa a porção de estrutura mais resistente do complexo dentina-polpa. Esta região do dente é composta por um tecido conjuntivo avascular, de coloração branco-amarelada, localizado abaixo do esmalte.

A dentina caracteriza-se por possuir uma grande quantidade de túbulos, preenchidos com fluidos denominados “fluidos dentinários”, ao longo de sua estrutura.

Quando ocorre alguma mudança no ambiente bucal que afete os fluidos dentinários, os túbulos ativam terminações nervosas e, deste modo, transmitem estímulos sensoriais à polpa.

Caso haja um desgaste da camada protetora de esmalte, os túbulos passarão a estar menos protegidos dos estímulos externos, como o contato com alimentos muito quentes ou muito frios, provocando uma hipersensibilização dos dentes.

Além dos inconvenientes provocados pela hipersensibilidade dentária, a exposição dos túbulos dentinários ao ambiente bucal acarreta severos riscos de contaminação do nervo do dente através da ação de bactérias.

A invasão bacteriana dos túbulos pode atingir a polpa e ocasionar inflamações, necrose pulpar, infecção do sistema de canais das raízes e doenças periapicais. Essas doenças ocorrem numa região chamada “ápice da raiz” (que pode ser entendido como o “final” da raiz do dente) e podem causar, por exemplo, alterações no sistema cardiovascular.

Assim, a segurança da dentina mostra-se indispensável à saúde não só da boca como também de todo o seu corpo.

Seus dentes podem ser os médicos do seu coração!
Tranquilize o seu coração cuidando de seus dentes!

3. Esmalte:

O esmalte, como já foi descrito, é a camada responsável pela proteção do complexo dentina-polpa. Por ser o tecido mais mineralizado de todo o organismo, o esmalte é um revestimento duro que tem como principal função permitir a mastigação.

O esmalte também tem a missão de prevenir que a dentina e, consequentemente, a polpa, entrem em contato direto com ácidos, alimentos e bebidas muito quentes ou muito frios e com as diversas bactérias que habitam a boca (e há cerca de 50 bilhões delas!!).

A proteção a estímulos sensoriais muito intensos, junto à defesa contra bactérias que podem alcançar a polpa através dos túbulos da dentina, tornam o cuidado do esmalte uma prática indispensável para quem deseja se manter saudável.

Tal cuidado mostra-se ainda mais importante devido ao fato de o esmalte não possuir células vivas e, por isso, não poder ser naturalmente regenerado pelo corpo.

Descobertas recentes no campo da ciência odontológica sugerem que uma tecnologia capaz de estimular a regeneração do esmalte está em andamento.

Contudo, esses estudos ainda se encontram em fase inicial, apesar de já serem bastante promissores.

Deste modo, o velho ditado “é melhor prevenir do que remediar” segue sendo a melhor opção para quem busca cuidar bem de sua saúde.

Um lindo cachorrinho com uma escova de dentes na boca!
Por via das dúvidas, sejamos todos este adorável cachorrinho!

Os dentes também precisam “fixar as raízes”!

Além das três camadas anteriormente descritas, outras estruturas são relevantes para o bem-estar dentário e para a saúde bucal como um todo. Confira agora um resumo desses elementos que compõem o chamado periodonto (região literalmente “ao redor” do dente!):

Elementos do periodonto, a estrutura que sustenta os dentes. O periodonto é constituído pelo osso alveolar, pelos ligamentos periodontais, pelo revestimento da raiz do dente (cemento) e pela gengiva.
Observe como os elementos periodontais interagem entre si e com o dente!

1. Osso alveolar:

O osso alveolar é um dos tecidos que promovem a sustentação dos dentes, junto ao cemento (não, você não leu errado e já, já entenderá melhor essa “nova ortografia”) e ao ligamento periodontal.

Ele está presente tanto no maxilar quanto na mandíbula como um suporte ao qual os ligamentos periodontais vão fixar-se, unindo os dentes à ossatura da boca.

2. Ligamento Periodontal:

O ligamento periodontal é um tecido conjuntivo fibroso que conecta o cemento ao osso alveolar. Esse tecido é responsável por promover uma distribuição das forças geradas durante a mastigação, diminuindo o impacto mecânico sobre os dentes.

O ligamento periodontal desempenha ainda funções sensoriais, pois ele possui uma vasta quantidade de terminações nervosas que são receptoras para estímulos de dor e pressão.

3. Cemento:

O cemento é um tecido avascular que reveste a dentina na região da raiz dentária (e também é a única estrutura na língua portuguesa que recebe o nome de “cemento” em vez de “cimento”).

Diferentemente do esmalte, o cemento é formado continuamente ao longo da vida de um indivíduo, sendo reposto sempre que a camada anterior envelhece.

Isto ocorre devido ao fato de o cemento ser uma peça fundamental para a fixação dos dentes à estrutura bucal.

Gato andando por cima de "cimento" (esse é com "i")!
O “cimento” com “i” é esse que o gatinho está anarquizando!

4. Gengiva:

A gengiva é a única porção clinicamente visível do periodonto. Seu papel fundamental é envolver as raízes dos dentes e recobrir o osso alveolar, protegendo-os contra infecções. Maus hábitos de higiene bucal fragilizam a gengiva, tornando-a suscetível a processos inflamatórios conhecidos como gengivite.

Caso não seja tratada, a gengivite pode evoluir para um quadro mais grave, a periodontite. Neste caso, todo o sistema de sustentação dos dentes passa a estar sob ataque bacteriano, podendo ocorrer o afrouxamento dos dentes ou, até mesmo, o seu desprendimento.   

Pode-se, deste modo, perceber a relevância do periodonto para a boa conservação dos dentes. Felizmente, o remédio para os seus dentes também é o remédio para o seu periodonto: uma higiene bucal adequada, aliada a bons hábitos alimentares e comportamentais, é o essencial para garantir a saúde da sua boca como um todo!

Agora que você já sabe da importância de proteger os seus dentes, verifique se você não está cometendo um destes 10 vacilos que podem estragá-los!

Lembre-se sempre de que nós, da Carvvo, estamos à sua disposição para lhe ajudar a cuidar da sua saúde bucal! Nossa missão é o seu melhor sorriso!

Para saber mais:

  1. https://gq.globo.com/Corpo/Saude/noticia/2014/08/higiene-bucal-pode-influenciar-saude-do-corpo-todo.html
  2. https://www.sigaodontologia.com.br/o-que-e-polpa-dentaria/
  3. https://www.infoescola.com/histologia/tecido-conjuntivo-frouxo/
  4. http://www.forp.usp.br/restauradora/polpa.htm
  5. http://www.portaldasaudebucal.com.br/noticias.php?id=199
  6. https://www.infoescola.com/odontologia/dentina/
  7. https://www.odontologistas.com.br/odontologistas/endodontia/infeccoes-endodonticas-classificacao-doencas-pulpares-periapicais/
  8. https://www.colgate.com/en-us/oral-health/basics/mouth-and-teeth-anatomy/what-is-tooth-enamel-0113
  9. http://www.curaden.com.br/index.php/temas/paginas/7
  10. https://simpatio.com.br/osso-alveolar/
  11. https://www.lifelinecelltech.com/gingival-cell-structure-function-research/

Publicações científicas:

  1. http://srvd.grupoa.com.br/uploads/imagensExtra/legado/P/PEREIRA_Jose_Carlos/Dentistica/Lib/Cap_01.pdf
  2. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3360947/
  3. http://www.saudiendodj.com/article.asp?issn=1658-5984;year=2013;volume=3;issue=1;spage=1;epage=9;au
  4. http://www.endoexperience.com/userfiles/file/donald_yu_pulp_physiology.pdf
  5. http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1677-38882010000300004&script=sci_arttext&tlng=pt
  6. https://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/154411130201300207
  7. http://www.archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/viewFile/2238/pdf
  8. https://www.dentalcare.com/en-us/professional-education/ce-courses/ce370/enamel-structure-and-composition
  9. https://www.researchgate.net/publication/11279375_Invasion_of_Dentinal_Tubules_by_Oral_Bacteria
  10. https://www.sciencedirect.com/topics/neuroscience/alveolar-bone
  11. https://www.dentalcare.com/en-us/professional-education/ce-courses/ce103/anatomy-histology-of-the-gingiva

Leia também